Perceba sua natureza transitória...

Desperte teu Sol Interno...

...e Siga a natureza silenciosa de teu coração.


MMSorge

Tradutor Universal

Para ouvir a Rádio clique no Player

sexta-feira, 25 de maio de 2012

DNA pode ser influenciado e reprogramado por palavras e freqüências. (ДНК можна впливати і перепрограмувати словами і частоти)

DNA pode ser influenciado e reprogramado por palavras e frequências.

Por Grazyna Fosar e Bludorf Franz 
Descobrimentos DNA russos: Versão Original


O DNA humano é uma Internet BIOLÓGICA superior em muitos aspectos para com a internet artificial. A mais recente pesquisa científica russa explica fenômenos como a intuição, clarividência, atos espontâneos de cura, auto cura, técnicas de afirmação, a luz incomum / auras em torno das pessoas, influência da mente sobre os padrões climáticos e muito mais. Além disso, há evidências de um novo tipo de medicina em que o DNA pode ser influenciado e reprogramado por palavras e frequências SEM remover e substituir um único gene.

Apenas 10% do nosso DNA está sendo usado para a construção de proteínas. É este subconjunto do DNA que é do interesse dos pesquisadores ocidentais e está sendo examinado e categorizado. Os outros 90% são considerados "DNA lixo". Os pesquisadores russos, no entanto, convencido de que a natureza não faz nada por mero acaso, juntou-se lingüistas e geneticistas em uma aventura para explorar os 90% de "DNA lixo". Seus  resultados e conclusões são simplesmente revolucionário! Segundo eles, o nosso DNA não é apenas responsável pela construção de nosso corpo, mas também serve como armazenamento de dados e comunicação. Os linguistas russos descobriram que o código genético, especialmente nos "aparentemente" inútil 90% de "DNA lixo", segue as mesmas regras de todos os nossos idiomas humanos. Para este fim, eles compararam as regras da sintaxe (a forma em que as palavras são unidas por frases de formulários e sentenças), semântica (o estudo do significado nas formas de linguagem) e as regras básicas da gramática.

Eles descobriram que os alcalinos de nosso DNA seguem uma gramática regular e têm regras como nossas línguas. Então idiomas humanos não aparecem por acaso, mas são um reflexo do nosso DNA inerente.

O biofísico russo e biologista molecular Pjotr ​​Garjajev e seus colegas também exploraram o comportamento vibracional do DNA. (Por razões de brevidade vou dar apenas um resumo aqui. Para mais informações, por favor consulte o apêndice no final deste artigo). O resultado foi: ".. Cromossomos vivos funcionam como solitonic / holográfica de computadores que utilizam a radiação laser endógena DNA" Isso significa que eles conseguiram, por exemplo,  modular a freqüência certa em padrões de raio laser e, com ela influenciar a frequência de ADN e, portanto, a própria informação genética. Uma vez que a estrutura básica dos pares de  DNA-alcalino e da linguagem (como explicado anteriormente) são da mesma estrutura, nenhuma decodificação de DNA é necessário.

Pode-se simplesmente usar palavras e sentenças da linguagem humana! Isso, também, foi provado experimentalmente! A Substância do DNA (no tecido vivo, não in vitro), sempre reagirá aos raios lasers com linguagem modulada e até mesmo ondas de rádio, se as freqüências apropriadas estiverem sendo usadas.

Isto explica finalmente e cientificamente por que as afirmações, o treinamento autógeno, hipnose e a vontade podem ter efeitos tão fortes nos humanos e seus corpos. É perfeitamente normal e natural para o nosso DNA reagir à linguagem. Enquanto os pesquisadores ocidentais cortam genes simples do DNA e os inserem em outros lugares, os russos entusiasticamente trabalham em dispositivos que podem influenciar o metabolismo celular através de adequada rádio frequência modulada e freqüências de luz e assim reparar defeitos genéticos.

O grupo de pesquisa de Garjajev conseguiu provar que com este método, cromossomos danificados por raios-x, por exemplo, pode ser reparado. Eles até capturaram padrões de informação de um DNA particular e os transmitiram para outro, reprogramando assim as células para outro genoma. Assim eles transformaram com êxito, por exemplo, embriões da rã em embriões da salamandra, simplesmente ao transmitirem os padrões de informação do DNA! Desta forma, toda a informação foi transmitida sem quaisquer dos efeitos secundários ou desarmônicos encontrados quando se extrai e se reintroduz genes simples do DNA. Isto representa um inacreditável mundo de transformação e revolução! Tudo isto aconteceu simplesmente pela aplicação da vibração e da linguagem no lugar do procedimento de corte arcaico-out! Este experimento demonstra o poder imenso da genética, que obviamente tem uma influência maior sobre a formação de organismos do que os processos bioquímicos das seqüências alcalinas.

Os professores esotéricos e espirituais conheceram por eras que o nosso corpo é programável pela linguagem, palavras e pensamentos. Isto já foi cientificamente provado e explicado. Claro que a freqüência tem que ser correta. E é por isso que nem todos são igualmente bem-sucedidos ou podem alcançar resultados a força. A pessoa individual deve trabalhar nos processos internos e de maturidade, a fim de estabelecer uma comunicação consciente com o DNA. Os pesquisadores russos trabalham em um método que não depende destes fatores, mas que SEMPRE funcionará desde que se use a freqüência correta.

Mas quanto mais desenvolvida for a consciência de um indivíduo menos necessidade há para qualquer tipo de dispositivo! Pode-se alcançar estes resultados por si mesmo, e a ciência vai finalmente parar de rir de tais idéias e confirmará e explicará os resultados. E não termina aí. Os cientistas russos também descobriram que o nosso DNA pode causar padrões perturbadores no vácuo, produzindo assim buracos de minhoca magnetizados! Buracos de minhoca são os equivalentes microscópicos das chamadas pontes de Einstein-Rosen na vizinhança dos buracos negros (deixados pelas estrelas extintas). Estas são conexões de túneis entre áreas totalmente diferentes no universo através do qual as informações podem ser transmitidas fora do espaço e tempo. O DNA atrai estes "pacotes" de informação e passa-os para a nossa consciência. Este processo de hipercomunicação é mais eficaz em um estado de relaxamento. Stress, preocupações ou um intelecto hiperativo impede a hipercomunicação de nosso DNA deixando a informação totalmente distorcida e inútil.

Na natureza a hipercomunicação foi aplicada com sucesso por milhões de anos. O fluxo organizado de vida dos insetos prova isto dramaticamente. O homem moderno sabe que somente se alcança isso em um nível muito mais sutil como "intuição". Mas nós, também, podemos recuperar o pleno uso do mesmo. Um exemplo da Natureza: Quando uma formiga rainha está separada espacialmente de sua colônia, a construção ainda continua fervorosamente e de acordo com o plano. Se a rainha morre, no entanto, todo o trabalho na colônia pára. Nenhuma formiga sabe o que fazer. Aparentemente, a rainha envia os "planos de construção", de longe através da consciência de grupo. Ela pode estar tão longe quanto ela quiser, contanto que ela esteja viva. No homem a hipercomunicação é encontrada com mais freqüência quando subitamente se ganha acesso à informação que está fora da base de conhecimento. Tal hipercomunicação é então experienciada como inspiração ou intuição. O compositor italiano Giuseppe Tartini, por exemplo, sonhou uma noite que um demônio sentou em sua cama tocando um violino. Na manhã seguinte Tartini foi capaz de anotar a peça exatamente de memória, ele a chamou de Sonata do Diabo Trill.

Durante anos, um enfermeiro de 42 anos sonhou com uma situação em que ele estava ligado a um tipo de CD-ROM com conhecimentos de todos os campos imagináveis, ​​foi então transmitido a ele a informação de que ele era capaz de se recordar todas as manhãs sobre o o assunto de seus sonhos. Havia tanto fluxo de informação que parecia que uma enciclopédia inteira havia sido transmitida a noite para ele. A maioria das informações que trazidas por ele estava fora do alcance de seu conhecimento pessoal alcançando detalhes técnicos sobre o qual ele não sabia absolutamente nada.

Quando a hipercomunicação ocorre, pode-se observar no DNA, assim como no ser humano fenómenos especiais. Os cientistas russos irradiaram luz lazer nas amostras de DNA isso formou na tela um padrão de onda típica. Quando eles removeram a amostra de DNA, o padrão de onda não desapareceu, ele permaneceu. Muitas experiências de controle mostraram que o padrão veio a partir da amostra removida, cujo campo de energia, aparentemente, se manteve por si só. Este efeito é agora chamado efeito de DNA fantasma. Supõe-se que a energia de fora do espaço e tempo ainda flua através dos buracos activados após a remoção do DNA.

O efeito colateral que mais se encontra em hipercomunicação nos seres humanos ocorre com campos eletromagnéticos inexplicáveis ​​na proximidade das pessoas. Os aparelhos eletrônicos como CD players e similares podem simplesmente parar de funcionar por horas.

Quando o campo electromagnético se dissipa lentamente, os dispositivos voltam a funcionar normalmente. Muitos curadores e sensitivos conhecem este efeito em seu trabalho. A atmosfera destas pessoas é carregada com muita energia, o mais frustrante é quando os aparelhos de gravação param de funcionar e não registram exatamente aquele momento. Mesmo se tentarmos ligar e desligar os aparelhos sua função não é restaurada, mas na manhã seguinte tudo volta ao normal. Talvez isso seja para muitos reconfortante ler.

Isso significa que as pessoas que conseguem a interferência em aparelhos eletrônicos são boas em hipercomunicação.

Em seu livro "Vernetzte Intelligenz" (Rede de Inteligência), Grazyna Gosar e Franz Bludorf explicam estas conexões de forma precisa e clara. Os autores também citam fontes presumindo que, em tempos anteriores a humanidade tinha sido, como os animais, muito fortemente ligada à consciência de grupo e agia como um grupo. Para desenvolver e experimentar a individualidade nós, seres humanos, porém, tivemos que esquecer a hipercomunicação quase completamente. 


Agora que estamos absolutamente estáveis ​​em nossa consciência individual, podemos criar uma nova forma de consciência de grupo, ou seja, um, em que alcançamos o acesso a todas as informações através do nosso DNA, sem sermos forçados ou remotamente controlados sobre o que fazer com essa informação. Nós Agora sabemos que, assim como na internet o nosso DNA pode alimentar seus dados apropriados para a rede, pode chamar-se os dados da rede e pode estabelecer contato com outros participantes na rede. A cura à distância, telepatia ou "sensoriamento remoto" sobre o estado de parentes, etc, podem assim ser explicada. Alguns animais sabem também à distância quando os seus donos planejam voltar para casa. Isso pode ser interpretado recentemente e explicado por meio dos conceitos de consciência de grupo e hipercomunicação. Nenhuma consciência coletiva pode ser sensivelmente usada em qualquer período de tempo sem uma individualidade distinta. Caso contrário, seria revertido para um instinto de rebanho primitivo que é facilmente manipulado.

Hipercomunicação no novo milênio significa algo muito diferente: Os pesquisadores acreditam que se os humanos com plena individualidade recuperar a consciência de grupo, eles teriam um poder divino, como para criar, alterar e formar coisas na Terra! E a humanidade está se movendo coletivamente em direção a uma consciência de grupo de novo tipo. Cinqüenta por cento das crianças de hoje serão crianças problema assim que forem para a escola. O sistema trata a todos globalmente e exige um ajuste. Mas a individualidade das crianças de hoje é tão forte que elas se recusam a este ajuste e desistir de suas idiossincrasias dos modos mais diversos.

Ao mesmo tempo, mais e mais crianças clarividentes nascem [veja o livro "Crianças Índigo da China" por Paul Dong ou o capítulo sobre Índigos em meu livro "Nutze die taeglichen Wunder" (Faça Uso das Maravilhas Diárias)]. Algo nestas crianças está se esforçando mais e mais para a consciência de grupo de novo tipo, elas deixarão de serem reprimidas. Como regra, o clima por exemplo, é mais difícil de influenciar por um único indivíduo. Mas ele pode ser influenciado por uma consciência de grupo (nada de novo para algumas tribos que fazem isto em suas danças da chuva). O tempo é fortemente influenciado pelas freqüências de ressonância da Terra, as assim chamadas freqüências Schumann. Mas essas mesmas freqüências são também produzidas em nossos cérebros, e quando muitas pessoas sintonizam o seu pensamento ou indivíduos (os mestres espirituais, por exemplo) concentram os seus pensamentos de forma semelhante ao do laser, então cientificamente falando não é de todo surpreendente, se puderem, assim, influência do clima.

Os pesquisadores da consciência de grupo formularam a teoria de civilizações de Tipo I. Uma humanidade que desenvolve uma consciência de grupo de novo tipo não teria problemas ambientais nem escassez de energia. Uma nova humanidade ao usar seu poder mental como uma civilização unida, teria controle das energias de seu planeta como uma conseqüência natural. E isso inclui todas as catástrofes naturais! A civilização teórica Tipo II seria mesmo capaz de controlar todas as energias de sua galáxia de origem. No meu livro "Nutze die taeglichen Wunder", eu descrevo um exemplo disto: Sempre que muitas pessoas concentrarem a sua atenção ou consciência em algo semelhante, o Natal, campeonato mundial de futebol ou o funeral de Lady Diana na Inglaterra, então um número aleatório determinados geradores em computadores começam a entregar números ordenados em vez de aleatórios. 


Uma consciência de grupo ordenada cria ordem em seus arredores inteiros! 



[http://noosphere.princeton.edu/fristwall2.html ] 



Quando um número grande de pessoas se reúnem de forma intima, os potenciais de violência também se dissolvem. Parece que aqui, também, uma nova espécie de consciência humanitária de toda a humanidade é criada.


Na Parada do Amor, por exemplo, onde todos os anos cerca de um milhão de jovens se reúnem, nunca houve quaisquer tumultos brutais, como eles ocorrem, por exemplo, em eventos esportivos. O nome do evento por si só não é visto como a causa aqui. O resultado de uma análise indicou vez que o número de pessoas era MUITO GRANDE para permitir uma inclinação para a violência.

Para voltar ao DNA: Aparentemente, é também um supercondutor orgânico que pode funcionar na temperatura do corpo normal. Supercondutores artificiais requerem temperaturas extremamente baixas de entre 200 e 140 ° C a funcionar. Como um aprendido recentemente, todos os supercondutores são capazes de armazenar luz e assim informação. Esta é uma explicação de como o DNA pode armazenar informação. Há um outro fenômeno ligado ao DNA e aos buracos. Normalmente, esses buracos de minhoca supersmall são altamente instáveis ​​e são mantidos somente por frações mínimas de segundo. Sob certas condições (leia sobre isso no livro Fosar / Bludorf acima) wormholes estáveis ​​podem se organizar, que formam então domínios distintos do vácuo em que por exemplo a gravidade podem se transformar em eletricidade.

Os domínios do vácuo são bolas auto-radiantes de gás ionizado que contêm quantidades consideráveis ​​de energia. Há regiões na Rússia onde tais bolas brilhantes aparecem muito freqüentemente. Seguindo a confusão resultante, os russos começaram os programas maciços de pesquisa levando finalmente a algumas das descobertas menciona acima. Muitas pessoas conhecem os domínios do vácuo, como estrelas brilhantes no céu. O olhar atento a eles em perguntar e perguntar a si mesmos, o que poderia ser. Eu pensei uma vez: "Olá, lá em cima. Se acontecer de você ser um OVNI, voem em um triângulo. "E de repente, as bolas de luz se moveram em um triângulo. Ou eles atiraram no céu como discos de hóquei no gelo. Eles aceleraram de zero a velocidades loucas enquanto desliza suavemente pelo céu. Fica-se gawking e eu tenho, como muitos outros, também, pensei que eles sejam UFOs. Mais amigáveis, aparentemente, já que eles voaram em triângulos apenas para me agradar. Agora os russos encontraram nas regiões, onde os domínios do vácuo aparecem freqüentemente que às vezes voam como bolas de luz de baixo para cima no céu, que estas bolas podem ser guiadas por pensei. Uma vez que descobriu que os domínios do vácuo emitem ondas de baixa freqüência como são também produzidas em nossos cérebros.

E por causa dessa semelhança das ondas que são capazes de reagir aos nossos pensamentos. Para executar animadamente em um que é ao nível do solo pode não ser uma idéia tão grande, porque estas bolas de luz podem conter energias imensas e são capazes de mutar nossos genes. Eles podem, eles não têm necessariamente, tem que se dizer. Para muitos professores espirituais produzem também tais bolas visíveis ou colunas de luz em meditação profunda ou durante o trabalho de energia que provocam sentimentos decididamente agradáveis ​​e não causam qualquer dano. Aparentemente, este também é dependente em alguma ordem interior e sobre a qualidade ea proveniência do domínio de vácuo. Há alguns professores espirituais (o jovem inglês Ananda, por exemplo) com quem nada é visto no início, mas quando se tenta tirar uma fotografia enquanto eles se sentam e falam ou meditam em hipercomunicação, obtém-se apenas de uma imagem de uma nuvem branca sobre uma cadeira. Em alguns projetos de cura da Terra tais efeitos de luz também aparecem nas fotografias. Resumindo, estes fenômenos têm a ver com a gravidade e as forças anti-gravidade que estão também exatamente descritas no livro e com buracos cada vez mais estáveis ​​e hipercomunicação e, portanto, com as energias fora de nossa estrutura de tempo e espaço.

As gerações anteriores que entraram em contato com experiências hipercomunicação tais e domínios de vácuo visíveis estavam convencidos de que um anjo tinha aparecido diante delas. E nós não podemos estar muito certo de que formas de consciência que podemos ter acesso ao usar hipercomunicação. Não ter provas científicas para a sua existência real (as pessoas de ter tido tais experiências nem todos sofrem de alucinações) não significa que não há fundo metafísico para ele. Nós temos simplesmente dado outro passo de gigante rumo à compreensão de nossa realidade.

A ciência oficial também conhece as anomalias da gravidade na Terra (que contribuem para a formação de domínios do vácuo), mas somente aqueles abaixo de um por cento. Mas recentemente as anomalias da gravidade foram encontradas entre três e quatro por cento. Um destes lugares é Rocca di Papa, sul de Roma (local exato no livro "Vernetzte Intelligenz" mais vários outros). Objetos redondos de todos os tipos, desde bolas a ônibus lotados, rolar para cima. Mas o trecho em Rocca di Papa é bastante curto, e os céticos lógicos ainda desafiam a fugir para a teoria da ilusão de ótica (que não pode ser devido a várias características do local).

Todas as informações são extraídas do livro "Vernetzte Intelligenz" von Grazyna Fosar und Franz Bludorf, ISBN 3930243237, resumidos e comentados por Baerbel. O livro é, infelizmente, disponível apenas em alemão até agora. Você pode alcançar os autores aqui:  www.fosar-bludorf.com

[2]; Transmissíveis por Vitae Bergman [www.ryze.com/view.php?who=vitaeb~~HEAD=NNS] [3] Referências: 1. http://noosphere.princeton.edu/fristwall2.html 2. http://www.fosar-bludorf.com 3. http://www.ryze.com/view.php?who=vitaeb


***

MMSorge - Frequências de Cura - Sete Chakras


Apresentamos uma excelente ferramenta para ajudar-nos a reequilibrar nossos chakras nos reconectando às dimensões superiores. Uma ferramenta completa e poderosa neste momento de interiorização e reconexão para o nascimento de uma nova raça que herdará a futura terra.

Encomende a sua coletânea!!!


Musica, Ciência e Espiritualidade unidas na Cura e no Bem Estar da Humanidade.

Sintonize-se com os novos ramos do Saber, da Música e da Espiritualidade que agora estão se unindo para Cura e Bem Estar da Humanidade.

RE-CONEXÃO

CURA RE-CONECTIVA

REPROGRAMAÇÃO CELULAR

RE-CODIFICAÇÃO DNA-RNA

FREQUÊNCIAS DE BRILHO

PNL
(Programação Neuro-Linguística)

CHAVES DE ENOCH 3-1-7
(Astronomia Médica)

EPIGENÉTICA

MUSICOTERAPIA

SINCRONARIO MAYA
A Ponte do arco Iris Circumpolar
(Convergência Harmonica)

ESPIRITUALIDADE.

ASCENSÃO!

“Nosso Corpo é nosso verdadeiro TEMPLO SAGRADO descrito em todas as escrituras de todas as culturas e religiões, do passado, do presente e do futuro. Conecte-se com ele através do amor e conhecerá a verdadeira Jerusalém Celestial. Ela esta dentro de nós, sempre esteve... Não fora... Esta dentro de cada um, Desperte!!!”.

MMSorge

Aqueles que tiverem interesse em adquirir esta coletânea é só mandar um email para:

frequenciasdecura7@gmail.com
Prazo de entrega 15 dias

***

Aprofunde-se mais neste trabalho com a musica, as frequências sonoras e a espiritualidade.

Acesse:

quinta-feira, 24 de maio de 2012

O Segredo dos Antigos Nórdicos



"A mitologia germânica é nórdica. A Sabedoria vem do Norte..., o berço da humanidade está no Norte... A Sabedoria oculta veio do Norte à Lemúria, e da Lemúria passou à Atlântida." - Samael Aun Weor

Ainda que o Livro Sagrado dos Povos Germânicos, os Eddas Alemão, tenha seu primeiro registro em língua escrita no século X d.C, a Sabedoria Nórdica deve ser considerada a raiz do conhecimento esotérico da humanidade.

Um breve olhar acerca dos mitos nórdicos assombra os religiosos e estudiosos de qualquer latitude, frente ao conteúdo valorativo de suas narrativas que convergem com os princípios religiosos que vão desde o Egito até os Cristãos Primitivos. Foram estes últimos que, assombrados com a transcendência do Mito de Odin registraram os Eddas Poéticos em 1056.

A imagem mais relacionada aos nórdicos é a dos guerreiros Vikings – do escandinavo, relativo a'vig' - batalha . Estes, moldados pelas tormentas de ar, pelos mares furiosos e tempestades de gelo, se tornaram os mais hábeis navegadores de sua época que, somada a característica combativa própria dos filhos de Odin, resultou em terror para os povos europeus entre os anos de 793 a 1066.

Com seus Navios Dragões, povoaram o nordeste da Rússia, Groelândia, Islândia e chegaram até mesmo às Américas, dirigidos por Érick o Vermelho, 500 anos antes das navegações portuguesas e espanholas. Estabeleceram reinados entre os povos germânicos, sendo estes os principais responsáveis pela transmissão e difusão da Sabedoria Nórdica.

Mas não apenas de guerreiros se compunham os Nórdicos. Certamente, haviam entre eles os que amavam a terra, a agricultura, a forja dos metais e que cultuavam outros Deuses como Thor e Freya.

De fato, historiadores contemporâneos atribuem aos Nórdicos grande responsabilidade na formação da Europa, que vão desde a tecnologia de navegação à formação estrutural das cidades européias. Os clichês que apresentam os nórdicos como selvagens e ignorantes não são mais que fruto da imaginação sensacionalista surgida em meados do século XX e que em muito pouco ou nada retratam uma realidade.

As raízes da Cultura Nórdica, nas palavras de Samael Aun Weor, se perdem na noite dos séculos e originam-se da Ilha Sagrada do Norte, a misteriosa Thule, situada no que hoje é o círculo Polar Ártico. A tradição oral fez com que a Mitologia Nórdica atravessasse os séculos, sendo uma herança divina de imenso valor.

A Mitologia Nórdica

Qualquer datação da origem da mitologia nórdica não passará de mera especulação. Os Eddas são frutos do trabalho arqueológico de monges cristãos que, buscando recolhimento espiritual nas Terras do Gelo (Ice Land, Islandia), registraram os poemas épicos dos povoados que estabeleceram assentamento por aquela região. Portanto é um erro relacionar a data destes documentos à origem da Sabedoria Nórdica.

Ragnarök, o Apocalipse Nórdico

Nesta Mitologia, também se destaca as narrativas do Ragnarök que significa literalmente “O destino final dos Deuses”.
O Ragnarök é explicado ou mencionado em vários poemas relacionados ao Edda poético, em particular no Völuspá, e na parte do Edda em prosa chamada Gylfaginning. No Ragnarök encontramos a causa da Degeneração Humana e o caminho que se deve trilhar para recuperar valores humanos e espirituais.

Metafísica Nórdica

Os Nórdicos conheciam as Dimensões Superiores da Natureza. Em sua Mitologia, nos falam de Nove Mundos ou Dimensões.

Uma das grandes máximas da Sabedoria é que tudo que existe dentro também existe fora e que tudo que há em cima há embaixo.

Baseado nisto, podemos comprovar que as Dimensões Superiores da Natureza existem em nosso interior e que para cada dimensão da natureza o homem possui um corpo ou veículo para nelas se desenvolver.

Os noves Mundos Nórdicos



Asgard


Midgard


Jotunheim


Vanaheim


Alfheim


Musphelhein


Svartalfheim


Nidavellir


Niflheim




Yggdrasil

Yggdrasil é a Árvore da Vida da Kabala, é a expressão das dimensões superiores e inferiores da Natureza.

Nas suas raízes, que se espalhavam pelos Nove Mundos, as profundas estão situadas em Nifheim, os mundos subterrâneos, vivo simbolismo das Regiões Inferiores da Natureza.

O tronco era Midgard, o mundo físico, o Malkut da Kabala Hebraica.

A parte mais alta, que se dizia tocar o Sol e a Lua, chamava-se Asgard "A Cidade Dourada", a terra dos Deuses, o Olimpo Grego, e Valhala ("O Salão dos Mortos"), local onde os guerreiros eram recebidos após terem morrido, com honra, durante as batalhas (a maior batalha que o ser humano deve travar é contra sua natureza infra-humana: o Ego).

O Mito de Odin, o Sacrifício pela Sabedoria e as Runas

Desde seu nascimento, Odin sentiu-se ávido por alcançar a sabedoria. Descobriu que nas raízes de Yggdrasil encontrava-se um poço, custeado pela cabeça da Deusa Mimir, o qual conferia sabedoria para aqueles que bebessem de sua água.

Mimir era uma Deusa que havia sido decapitada e impôs a Odin a condição de sacrificar um de seus olhos, entregando-a, para beber da água do poço.

Odin não hesita, entrega um de seus olhos para adquirir a sabedoria e conhece coisas inefáveis, explendores restritos aos ávidos buscadores da verdade.

O que lhe é dado a conhecer o impele a querer mais: mais conhecimento, mais sabedoria.

Pendura-se de cabeça para baixo na Árvore Yggdrasil, ato rodeado de um profundo simbolismo e alcança as sagradas Runas. Segue o texto do Hávamál (As palavras do Altíssimo), do segundo manuscrito dos Eddas:


“Sei que estive pendurado naquela árvore que o vento açoita,
balançando-me durante nove longas noites,
ferido pelo fio de minha própria espada,
derramando meu sangue por Odín,
eu mesmo, uma oferenda a mim mesmo;
atado à árvore
cujas raízes nenhum homem sabe
para onde se dirigem.
Ninguém me deu de comer,
ninguém me deu de beber.
Contemplei o mais profundo dos abismos,
até que vi as runas.
Com um grito de raiva agarrei-as,
e depois caí desfalecido.
Nove terríveis canções
do glorioso filho de Bolthor aprendi
e um trago tomei do glorioso vinho
servido por Odrerir.
Obtive bem-estar
e também sabedoria.
Saltei de uma palavra a outra palavra,
e de um ato a outro ato...”


A escrita rúnica é antiquíssima. Os historiadores afirmam que esta existe há mais de doze mil anos.

“As Runas são a escritura divina. Lembremos que a Swástica é uma Runa. As letras hebraicas não são mais do que modificações das letras rúnicas.” Samael AunWeor

A Sabedoria das Runas foi deixada aos homens por Odin, para que investigassem, para se divinizar e para obter um sábio aconselhamento quando necessário.

Assim como os Heróis Solares, Odin se submete ao supremo Sacrifício, a Morte, para entregar à humanidade uma Sabedoria Divina e ressuscita glorioso e imortal.

À semelhança do Osíris Egípcio, Rei da Região dos Mortos, Odin é o Pai dos Mortos Gloriosos. Morte, Ressurreição e Sacrifício são três fatores que estão em substância em toda saga solar. Indicam três fatores inerentes da transformação do homem vulgar em divino, Rei Glorioso triunfador das terríveis batalhas, que em um sentido esotérico, fazem alusão à batalha na própria natureza interna do Homem:


“...ferido pelo fio de minha própria espada, derramando meu sangue por Odín, eu mesmo, uma oferenda a mim mesmo...”.

De seu trono, estabelecido no Vahala, contempla os nove mundos. É já o senhor da Sabedoria e da Guerra...

segunda-feira, 21 de maio de 2012

O SOM E A LUZ


O SOM E A LUZ



Este universo ao qual vivemos é resultado da manifestação condensada do Som e da Luz. Tudo ao nosso redor é pura energia condensada. Os seres humanos e este universo tridimensional que conhecemos hoje estão existindo neste exato momento em uma pequena faixa muito estreita de vibração e manifestação, essa pequena faixa estreita de vibração e manifestação é simplesmente o resultado das vibrações mais densas do som e da luz e o reflexo mais denso deste condensamento é aquilo que chamamos de matéria.

Mas então, quem constrói ou quem construiu este universo... Nossa própria mente! Nós somos os construtores de nosso próprio universo. À medida que vamos ascendendo e despertando nossa consciência vamos percebendo e elevando nosso padrão de ressonância e vibração e assim como um único corpo em movimento vamos reconstruindo nossa realidade para novos planos de vibração e de existência. Percebem...

Dentro da escala sonora perceptível e audível ao ouvido humano encontramos uma linha de frequência. Esta linha de frequência atua do som mais grave e baixo até o mais agudo e alto, ela pode harmonizar ou desarmonizar nossa realidade interna; espiritual, psíquica e emocional como também externa; física. Foi Pitágoras quem ordenou as frequências mais harmônicas desta linha sonora e as colocou em uma ordem crescente partindo das mais graves até a mais agudas, assim nasceu nossa escala musical. Da mesma forma, essa ordem crescente de vibração acontece em escalas mais altas e mais elevadas onde encontramos os espectros luminosos e a tabela de cores. 

Veja o arco Iris ele é um reflexo no mundo externo desta tabela de cores natural.



“Nosso Corpo é nosso verdadeiro TEMPLO SAGRADO descrito em todas as escrituras de todas as culturas e religiões, do passado, do presente e do futuro. Conecte-se com ele através do amor e conhecerá a verdadeira Jerusalém Celestial. Ela esta dentro de nós, sempre esteve... Não fora... Esta dentro de cada um, Desperte!!!”.

Conheça de que forma podemos sintonizar nosso corpo físico através das frequências sonoras.

Acesse:


FIAT LUX
PAX


MMSorge

quarta-feira, 16 de maio de 2012

A ENCARNAÇÃO DE JESUS CRISTO - COMO O VERBO ETERNO TORNOU-SE HOMEM - CAPITULO 2


A Encarnação de Jesus Cristo
Jacob Boehme


Nota Do Blog:
Iniciaremos no blog O Sol Interno um estudo sobre algumas obras de Jacob Boehme, O filosofo alemão inspirado por Deus. Abriremos um tópico exclusivo chamado Jacob Boehme para aqueles que se interessarem em aprofundar seus estudos sobre sua doutrina e vida. No final de cada capítulo abordado colocaremos sempre um link para download do livro citado na matéria postada.

Jacob Boehme foi mais do que um simples homem, foi um ser que enxergou com a pureza de seu coração os mistérios que envolem Deus, a santíssima trindade e toda a manifestação de sua criação.

Que aos poucos e de forma constante a força e luz cristica possa tocar nossas almas como tocou a alma deste ser especial.


Paz Profunda 
FIAT LUX
PAX

Namastê

***

Continuação:


CAPÍTULO II

A manifestação da Divindade através da criação dos anjos e homens a partir da Essência Divina.

1. Visto que houve um mistério desde a eternidade, consideraremos agora a sua manifestação. Podemos falar da eternidade somente como se falássemos de um espírito, pois o todo era unicamente espírito; mesmo assim, da eternidade gerou a si mesmo em substância, através da ânsia e do desejo. Não podemos dizer que na eternidade não havia substância, pois nenhum fogo existe sem substância. Tampouco há brandura, sem a produção de substância. Pois a brandura produz a água e o fogo a absorve, transformando-a em si mesmo, uma parte nos céus e firmamento, e a outra parte no súlfur, onde o espírito-ígneo com sua roda de essências produz um mercúrio e desperta o Vulcão (lança fogo), através do qual o terceiro espírito ou o ar é gerado. No meio encontra-se a tintura pura, como um lustre de cores, e que possui sua origem da sabedoria de Deus. Cada cor permanece com sua essência, na brandura da fonte de água, obscura, a qual tem sua origem da ferocidade amarga.

2. Cada forma anseia pela outra, e pela ânsia do desejo, uma forma é impregnada pela outra, sendo que uma traz a outra à existência, de forma que a eternidade permanece numa perpétua magia, onde a natureza encontra-se num processo de crescimento e fortalecimento, o fogo a consome e a origina, formando um laço eterno. Mas a luz da Majestade e da Trindade de Deus é imutável; pois o fogo não pode apreender a luz, que vive livre em si mesma.

3. Reconhecemos e observamos, contudo, que a luz do amor deseja as maravilhas e imagens na sabedoria; em tal desejo, este mundo foi percebido, desde a eternidade, como um modelo (forma espelhada), na sabedoria, na profunda e oculta magia de Deus; pois o desejo de amor busca o fundamento e o não fundamento. O desejo da cólera, ou seja, da fonte severa e amarga na natureza e propriedade do Pai, aqui encontra-se misturado, desde a eternidade. Assim, a imagem dos anjos e homens na propriedade divina, assim como na propriedade da cólera, os demônios, foram vistos na sabedoria de Deus desde a eternidade: ainda não como algum ser, mas da mesma forma que um pensamento surge nas profundezas da mente, sendo trazida diante de seu próprio espelho da alma, onde um objeto que não tem ser, aparece freqüentemente.

4. Assim as duas genetrizes, a da cólera no fogo e a do amor na luz, trouxeram sua forma na sabedoria, onde o coração de Deus desejou, no amor, produzir sua forma espelhada numa imagem angélica, composta pela essência divina, a fim de que estas formas pudessem ser imagem e semelhança da Divindade e habitar na sabedoria de Deus, preenchendo a ânsia da Divindade e para o eterno deleite do divino reino da alegria.

5. Precisamos considerar agora o Verbum Fiat, que os abarcou e os trouxe a uma substância e a um ser corporal, pois a vontade desta imagem surgiu do Pai, da propriedade do Pai, no Verbo ou coração de Deus desde a eternidade, como uma vontade que deseja a criatura e a manifestação da Divindade. Porque, contudo, Deus não colocou-se em movimento até o momento da criação dos anjos; portanto, não ocorreu criação alguma até a criação dos anjos. Mas a razão e causa disto não cabe a nós conhecermos; Deus guardou em seu poder, como foi que alguma vez se colocou em movimento, sendo que é, de fato, um Deus imutável. Não devemos ir além nesta questão, o que iria nos confundir.

6. Mas sobre a criação temos o poder de falar, pois trata-se de uma obra no ser de Deus. Compreendemos, que a vontade do Verbo ou o coração de Deus, é retida pelo Fiat amargo, no centro da natureza do Pai, com seus sete espíritos e formas da Natureza eterna, e que na forma de um trono, através do qual o Fiat amargo apareceu não como um realizador, mas como um agente na propriedade de cada essência, ou seja, nas grandes maravilhas da sabedoria. Assim como as imagens foram retidas, desde a eternidade na sabedoria, foram agora abarcadas pelo Fiat na Vontade-espírito de Deus, e não foram tomadas de forma alienatória, mas da essência de Deus, ou da natureza do Pai. Elas foram, com a Vontade-espírito de Deus, introduzidas na luz da Majestade, onde passaram a ser os filhos de Deus e não estranhos; nasceram e foram criadas, da natureza e propriedade eterna do Pai, e o espírito de sua vontade foi direcionada à natureza e propriedade do Filho. Eles podiam se alimentar e deveriam fazê-lo do amor e essencialidade de Deus, na luz da Majestade; com isso, sua propriedade feroz, proveniente da natureza do Pai, era transformada em amor e alegria. Assim procederam todos, com exceção de um trono e reino, que se voltou para longe da luz do amor, e desejou, na severa natureza-ígnea, reinar sobre a brandura e o amor de Deus. Conseqüentemente, este trono foi dirigido para fora da propriedade do Pai, fora do lugar próprio da criatura para as trevas eternas, para o abismo do Fiat adstringente; ali deve permanecer em sua própria eternidade; desta forma, a cólera da Natureza Eterna também foi satisfeita.

7. Mas não se deve pensar que o Rei Lúcifer não poderia ter permanecido firme. Ele possuía a luz da Majestade diante dele, da mesma forma que os outros anjos-tronos. Se sua imaginação tivesse ocorrido na luz, teria permanecido um anjo; mas ele se retirou do amor de Deus, e penetrou a cólera, passando a ser um inimigo do amor de Deus e de todos os santos anjos.

8. Além do mais, precisamos considerar aqui, a hostil inflamação dos espíritos expulsos, quando ainda encontravam-se na propriedade do Pai; como acenderam, através da imaginação, a natureza da essencialidade, fazendo com que a terra e as pedras fossem produzidas da Essência celeste, e o espírito brando da água, na qualificação do fogo, tornou-se o firmamento abrasador. Imediatamente sucedeu-se a criação deste mundo como o terceiro Princípio; este mundo foi provido de uma outra luz, ou seja, o sol; com isso, o demônio foi privado de sua pompa, sendo fechado nas trevas como um prisioneiro, entre o reino de Deus e o reino deste mundo, a fim de que seu domínio neste mundo não se estenda além da turba, onde a cólera e a ira de Deus é despertada, e ali ele é um carrasco. Ele é um perpétuo mentiroso, caluniador e enganador das criaturas; ele transforma tudo o que é bom naquilo que é mal, assim que tem a oportunidade. O que quer que seja terrível e resplandecente, ali ele exibe seu poder, desejando sempre estar acima de Deus. Mas o céu, criado do meio das águas como um firmamento brando, abate sua pompa e orgulho, assim ele não é um príncipe soberano deste mundo, mas um príncipe da cólera.

9. Mas visto que o demônio foi expulso de seu lugar, este lugar ou trono (destituído de sua hoste angélica) desejou enormemente o seu príncipe; mas ele havia sido expulso. Deus então criou um novo príncipe para este lugar, Adão, o primeiro homem, que também era um príncipe-trono diante de Deus. É preciso considerarmos aqui esta criação corretamente, assim como sua queda, o que fez com que o coração de Deus se movimentasse e se tornasse homem.

10. A criação do homem não é uma questão trivial, pois foi por causa de sua queda que Deus tornou-se homem, a fim de poder restaurá-lo. Portanto, sua queda não consiste no simples ato de se morder uma maçã; sua criação não ocorreu da forma que a razão acredita, na medida em que compreende o primeiro Adão, em sua criação, como sendo um mero torrão de terra. Não, cara alma, Deus não tornou-se homem por causa de um torrão de terra; também não foi uma mera questão de desobediência, diante da qual Deus tornou-se tão colérico a ponto de sua cólera não ser apaziguada, a menos que ele se vingasse de seu Filho e o matasse.

11. Para nós homens, após a perda da imagem paradisíaca, isto é um mistério e permaneceu oculto, exceto para alguns que conseguiram apreender novamente o mistério celeste; para estes, algo foi revelado, de acordo com o homem interior. Pois, em Adão estamos mortos para o Paraíso e devemos, através da morte e da putrefação do corpo, florescer novamente no Paraíso, como num outro mundo, na vida de Deus, na essencialidade e corporalidade celeste. Mas ainda que o mistério possa estar em alguns, para terem adquirido novamente na alma, a essencialidade de Deus (ou o corpo de Cristo), ainda assim o Adão terrestre e corrupto encobriu o santo e puro mistério, sendo que o grande segredo permaneceu oculto da razão. Deus não habita neste mundo, no Princípio externo, mas sim no Princípio interno. Certamente, ele habita no lugar deste mundo, mas este mundo não o apreende. Como então poderia o homem terrestre apreender os mistérios de Deus? Se algum homem pretende apreendê-los, deve fazê-lo de acordo com o homem interior, nascido novamente de Deus.

12. Mas, visto que o Mistério divino irá então, revelar-se inteiramente, apresentando-se ao homem de forma compreensível, a fim de que ele compreenda o segredo claramente, é preciso refletir bem sobre o que isso significa, - nada menos do que a colheita deste mundo. Pois o início encontrou o fim e o meio foi colocado em separação. Que isto seja dito a vós, sim aos filhos, que herdarão o reino de Deus: É hora de grande seriedade; o campo deve ser preparado; o bem e o mal devem ser separados; o dia se vai; isto é um fato!

13. Se iremos falar do homem, compreendê-lo corretamente, do que foi feito, devemos considerar a Divindade como Ser de todas os seres, pois o homem foi criado à semelhança de Deus, a partir dos três princípios, uma imagem completa e semelhante a toda esfera de existência. Ele não era para ser somente uma imagem deste mundo, pois a imagem deste mundo é animal, e não foi por causa de uma imagem animal que Deus tornou-se homem. Nem Deus criou o homem para viver assim, na propriedade animal, como vivemos agora, após a queda, mas Ele o criou no Paraíso, na Vida eterna. O homem não tinha esta carne animal, mas a carne celestial; com a queda, ela tornou-se terrestre e animal. Não devemos, no entanto, entender que o homem nada tinha deste mundo em si, mas os quatro elementos não reinavam nele, pois estavam reunidos em um, e o reino terrestre permanecia oculto. Ele deveria viver na qualidade celestial; embora tudo estivesse despertado no homem, ele deveria reinar com a qualidade celeste do segundo Princípio; a qualidade terrestre, o reino e a qualidade das estrelas e elementos deveriam estar sujeitas à qualidade paradisíaca. Nenhum calor, frio, doença ou miséria, nenhum temor deveria atingi-lo ou amendontá-lo. Seu corpo poderia passar através das pedras e da terra sem prejudicar nenhum deles. Não havia nenhum homem eterno, que pudesse ser controlado terreamente e que fosse frágil.

14. Portanto, é preciso considerar o homem corretamente. Não se trata de uma questão de sofisticação ou imaginação, mas de saber e compreender no espírito de Deus. É dito: “É preciso renascer, se quiseres ver de novo o reino de Deus, o qual abandonastes”. A ciência nada ajudará, senão o espírito de Deus, que abre a porta do céu à imagem do homem, para que ele veja com os três olhos. Pois o homem vive numa vida ternária, se é filho de Deus; caso contrário, vive somente uma vida binária. Sabemos, muito bem, que Adão abandonou, com a reta e santa imagem, que era a semelhança da Santa Trindade, o Ser Divino e imaginou na terrenidade, introduzindo o reino terrestre na imagem divina, o que provocou a sua corrupção e obscuridade; com isso, perdemos também a vista paradisíaca. Além do mais, Deus retirou o Paraíso do homem, o que o deixou frágil, fraco e sem poder; imediatamente, os quatro elementos e as estrelas tornaram-se poderosos no homem; portanto, com Adão caímos sob a sua influência. Esta foi também a causa da mulher; Deus dividiu Adão quando não pode permanecer firme, trazendo-o para duas tinturas, de acordo com o fogo e a água, uma fornecendo a alma, outra o espírito. Após a queda, o homem tornou-se uma entidade animal, devendo propagar-se através de uma propriedade animal, já que o Céu, o Paraíso e a Divindade tornaram-se um mistério para ele; aquilo que é eterno no homem, ou seja, a alma pura, ainda existe, mas coberta por uma vestimenta terrestre, obscura e infectada pela qualidade terrestre, envenenada pela falsa imaginação, o que o impede de ser reconhecido como filho de Deus; foi por causa disso que Deus tornou-se homem, a fim de libertar a alma da obscura terrenidade e introduzi-la novamente na essencialidade celestial, na carne e sangue de Cristo que preenche os céus.


Para aprofundar seus estudo abaixo o Link do Livro:
Bons Estudos

"A Morte mística é o caminho para a vida Eterna."
Jacob Boehme

FIATLUX
PAX

MMSorge

Se o amante se lança na chama da vela e não se queima,
ou a vela não é vela ou o homem não é Homem,
Assim o homem que não é enamorado de Deus
e que não faz esforços para o alcançar não é Homem.
Deus é aquele que queima o homem e o aniquila
e nenhuma razão o pode compreender.

Mawlana Rumi - ' Fihi ma fihi'

Por Amor

Por Amor
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

... És precioso aos meus olhos. Troco reinos inteiros por ti...

"Nem Cristão, Judeu, ou Muçulmano,

nem Hindu, nem Budista, Sufi ou Zen.

Nem uma Religião ou Sistema cultural.

Eu não sou do Oriente nem do Ocidente,

nem dos oceanos nem da terra,

nem material ou etéreo,

nem composto de elementos.

Eu não existo..."


Mawlana Jalaluddin Rumi