Perceba sua natureza transitória...

Desperte teu Sol Interno...

...e Siga a natureza silenciosa de teu coração.


MMSorge

Tradutor Universal

domingo, 23 de dezembro de 2012

A TERRA À PARTIR DE 2013 - CONVERGÊNCIA HARMÔNICA

CONVERGÊNCIA HARMÔNICA - A TERRA À PARTIR DE 2013


O Encantamento do Sonho Revisado
Da Nação do Encantamento do Sonho para a Ponte do Arco-íris.

2. O Encantamento do Sonho, A Dádiva para Sair da freqüência 12:60… não é o que você pensa que é!
"A DÁDIVA PARA SAIR DA FREQUENCIA 12:60 E ENTRAR NA 13:260 É O CALENDÁRIO DE TREZE LUAS, PARA LANÇAR A ONDA ENCANTADA DO SERVIÇO PLANETÁRIO. O TECLADO PARA O TABULEIRO DE VIAGEM DO ENCANTAMENTO DO SONHO, A ONDA ENCANTADA DAS 13 LUAS, ABRE TODAS AS ONDAS ENCANTADAS DOS CASTELOS, E ABRE OS DUZENTOS E SESSENTA PORTAIS DA "NAVE DO TEMPO TERRA”.
- O Encantamento do Sonho da Nave do Tempo Terra 2013, Gênese do Encantamento do Sonho.
De acordo com o Encantamento do Sonho, o mundo 12:60 está num processo de quebra, que começou em 1987 e vai até 2013. Aqueles que puderem despertar para este fato e pelo menos, mentalmente, sair do mundo 12:60, serão os eleitos para receberem a dádiva do Encantamento do Sonho, no qual está codificado o Calendário de 13 Luas. Isso está evidente, no trecho anterior, da Gênese do Encantamento do Sonho.
O fato é que por volta de 2012, o mundo será virado de cabeça para baixo. Os clãs selvagens, simplesmente, podem ser, os únicos que estarão à frente do tempo e, completamente à esquerda do mundo 12:60. O que acontecerá quando todos estiverem no mesmo barco - haverá um plano ou uma visão? Haverá bastante colete salva-vidas? Alguém saberá chegar a algum porto-seguro? Ter a dádiva para sair do mundo 12:60, está sendo suficientemente aproveitado? Alguém sabe como navegar no tempo?
Em princípio, de acordo com o mandado original da Federação Galáctica, em relação ao Encantamento do Sonho, qualquer um que saia da civilização 12:60 deverá receber a dádiva do Calendário de 13 Luas /28 dias.
Este é um ponto importante que deveria ser tomado como central, por todos os nodos PAN, do mundo. Deveriam ser distribuídos calendários de bolso, grátis, a todos que escolhem o caminho alternativo, longe da civilização. Então, pelo menos, estes, que fazem a escolha para deixar o velho, poderão saber que, realmente, existe outro tempo e, por conseguinte, outro mundo que está sendo preparado.

Realmente há uma nova dispensação, onde cada um recebe um novo nome – assinatura galáctica - e uma nova tarefa social – a família terrestre. A escolha de se retirar do 12:60 não será, então, só uma rejeição à sociedade popular, mas, de ser capaz de se sintonizar e entrar numa dimensão inteiramente nova de realidade, onde o tempo não é mais dinheiro, mas tempo é arte.
O Encantamento do Sonho é a visão. O Calendário de Treze Luas é a prescrição para o plano de paz universal. Com a dádiva, alguma coisa deve ser feita. Na passagem citada acima, a razão da dádiva do Calendário de 13 Luas é "PARA LANÇAR A ONDA ENCANTADA DO SERVIÇO PLANETÁRIO". Acrescentando que "O PROPÓSITO DO CALENDÁRIO DE TREZE LUAS É REUNIR O SERVIÇO DOS KINS PLANETÁRIOS EM NOME DA NAVE DO TEMPO TERRA…"
Para que, verdadeiramente, tenha sentido, a dádiva do Calendário de Treze Luas, deve ser apoiada na dádiva do Encantamento do Sonho. A forma pura do calendário - sincronário, ou medida de sincronicidade – está apresentada como o "calendário perpétuo de 13 luas", na parte de trás da Bússola Galáctica. Dentro da forma de Onda Encantada está o esquema de quatro semanas de 28 dias, refletindo o texto que diz, "TREZE LUAS PERFEITAS DE VINTE E OITO DIAS CADA. CADA LUA UM REFLEXO PERFEITO DAS OUTRAS. EM SEQÜÊNCIA, CADA UMA DAS TREZE LUAS LEVA UM DOS TREZE TONS GALÁCTICOS".
Possuindo a mesma forma que a Onda Encantada de 13 kins, dos castelos, a Onda Encantada de 13 luas está mais adiante qualificada como uma "Onda Encantada do serviço planetário". A Onda Encantada do serviço planetário é idealizada como um programa anual no qual a primeira lua é para definir do propósito, a segunda lua para identificar os desafios, a terceira lua para determinar a melhor forma de serviço, e assim sucessivamente. O plano de ação pretendido não é como uma agenda pessoal, mas é uma ação planetária a ser tomada junto com outros kins planetários, “em nome da Nave do Tempo Terra”.
Agora esta é uma proposição interessante. O que é exatamente a "Nave do Tempo Terra?” No manual do Encantamento do sonho, no APÊNDICE: NAVE DO TEMPO TERRA 2013, A Arte Planetária do Tempo Galáctico, é declarado que “a Terra é uma Nave do Tempo, um hólon planetário que viaja pelo tempo galáctico". A nave do tempo é definida, mais adiante, como o planeta Terra", em sua órbita criando a quarta dimensão que encerra, em si, a terceira".
Agora, isso nos dá muito a considerar. Em primeiro lugar, o que é um hólon?

Um hólon está definido como um “todo galáctico", caracterizado por consistência integral, capacidade de auto-organização, e a inclusão multidimensional…" e como "… um subconjunto e qualquer de suas partes dentro da totalidade galáctica." Um hólon também está descrito como a "estrutura do universo quadridimensional" ou, o corpo quadridimensional em um traje espacial tridimensional".



Isto significa que a Nave do Tempo Terra é o corpo orbital quadridimensional da Terra tridimensional. Este corpo quadridimensional funciona como um subconjunto auto-organizado da totalidade galáctica - um elétron planetário orbitando o núcleo solar de uma molécula heliocósmica particular dentro da totalidade galáctica. Estar a serviço da Nave do Tempo Terra é, então, estar a serviço do hólon quadridimensional da Terra, tanto como para a própria Terra tridimensional.
Servir a Terra quadridimensional é dar um serviço espiritual para a Terra, pois o hólon é o corpo espiritual em relação à matéria do corpo tridimensional. Essa Terra quadridimensional inclui tudo aquilo que queremos dizer quando falarmos a cerca da noosfera - a mente ou esfera mental da Terra. Noosfera é o nome dado à mente auto-organizada do hólon da Terra. O serviço planetário para o hólon da Terra - a Nave do Tempo - é se preparar para a manifestação da noosfera no ano 2013, "a viagem da Nave do Tempo Terra 2013".

Este é um ponto importante para reflexão. O Encantamento do Sonho não é o que você pensa que é! Muito longe de ser uma versão do "calendário maia", o Encantamento do Sonho é um programa espiritual para toda a Terra quando ela se afastar da freqüência de tempo 12:60. Por essa razão é "a dádiva para sair da freqüência 12:60". É para uso dos atletas da verdadeira viagem da alma dentro da aventura em espiral da evolução cósmica.
"Os Humanos devem se sincronizar com o tempo galáctico e se tornarem planejadores da Nave do Tempo Terra”. Isto só pode ser feito, dando o primeiro passo, para adotar o Calendário de 13 Luas. Por que? "Dos muitos calendários usados pelos humanos, nenhum leva em conta a unidade de tempo planetário e galáctico”. (ibid.) Nenhum deles, exceto o Calendário de 13 Luas /28 dias, do Encantamento do Sonho, a dádiva recebida para nos preparar para a elevação espiritual até a cultura galáctica e consciência cósmica, o significado completo da noosfera.
O próprio Encantamento do Sonho é sub titulado, "A Viagem da Nave do tempo Terra 2013". Isto é assim porque neste ponto, 2013 (anagrama para 13:20), a Nave do Tempo, o veículo de transporte do tempo da Terra que encerra seu condutor sensório tridimensional, estará finalmente pronta para entrada completa na quarta dimensão do tempo galáctico. Estará pronta para esta passagem na noosfera quadridimensional porque um número suficiente de kins planetários, responderam ao chamado e significado da Onda Encantada do serviço planetário.
Semente Galáctica Amarela, kin 164, 26 de julho de 2013 é, na realidade, um marcador de tempo cósmico evolutivo. O Solstício Rítmico - 21/12/2012 é tomado como o ponto de alinhamento com o centro galáctico - o ponto do vórtice de Hunab Ku. Este momento marca a transição real de um feixe de sincronização da fase de tempo, que coordena o ciclo anterior, da história de 13 baktuns, de 5.125 anos. Porém, antes de 21/12/2012, a civilização, tal como a conhecemos será, completamente, uma coisa do passado, uma era passada, da biosfera da Terra.
Este alinhamento de ponto nulo com o Hunab Ku, também marcará a manifestação dos anéis de arco-íris circumpolar da Terra - o último objeto ou alcance dos kins planetários reunidos a serviço da Nave do tempo. Isto provocará uma grande explosão de atividades. Muitas das quais será devido a ativação inter-dimensional e inter-estelar, o re-organização da ordem social humana em alinhamento com o nível quadridimensional da cultura galáctica. Esta atividade acontecerá durante as próximas sete luas, até o Dia Fora do Tempo de 2013, Noite Ressonante Azul. Então virá a Semente Galáctica Amarela - o lançamento da Nave do tempo.
"A aventura que isto representa, para a humanidade, é inconcebível dentro da compreensão limitada, de tempo tridimensional. Esta aventura será o resultado da conversão do 'tempo é dinheiro' para 'tempo é arte' "(Manual do Encantamento do Sonho). Este ponto não pode ser enfatizado, o suficiente.
Uma coisa é, ter barracas de arte e artesanato, tendas para decodificar assinaturas galácticas e música eletrônica, no Festival do Dia Fora do Tempo, proclamando o slogan, "tempo é arte". Mas sustentar uma experiência vívida é completamente diferente. Todavia, estes corajosos esforços, em meio a uma abundante sociedade de consumo 12:60 são, totalmente, necessários para chamar a atenção das pessoas para uma outra possibilidade de ser. Mas até que o 12:60 esteja, totalmente, descartado e tenha entrado em seu próprio nirvana, tais esforços serão apenas isso: sinalizadores indicando a natureza e direção do Novo Amanhecer. Se esses sinalizadores não estivessem aí, você não saberia para onde olhar - ou por que.
No momento do solstício de 2012, os primeiros raios desse, Novo Amanhecer riscarão o horizonte até que, finalmente, na Semente Galáctica, toda a luz desse amanhecer, penetrará em todos lugares com sua, inconfundivelmente nova, mensagem evolutiva. Não há nenhuma forma de se preparar para o que será experimentado. Isto é o porque de, até agora, não havermos entendido a natureza do tempo galáctico.
3. Tempo galáctico - o Significado do Encantamento do Sonho.
"O Tempo é a força-g, a quinta força galáctica. A força-g contém o espaço. O Tempo não é quanto se leva para chegar de um ponto a outro no espaço. O Tempo não tem nenhum começo ou fim".
- O Encantamento do Sonho, A Viagem da Nave do Tempo Terra 2013.
Para o qual poderíamos completar, o tempo é o fator universal de sincronização que é uma das funções da força-g. A Física da cultura contemporânea da Terra, reconhece quatro forças, a elétrica, a magnética, a forte e a fraca. A interação destas forças dá origem à partícula subatômica ou a física quântica.
Porém, há uma quinta força, a força-g, que é o fator do tempo galáctico que ativa e coordena as outras quatro forças. Isto está refletido no átomo de tempo galáctico, onde as cores antípodas, vermelha e azul representam as forças elétrica e magnética, enquanto que a branca e a amarela representam as forças fraca e forte. No centro está o verde, significando a força-g, a quinta força galáctica.
Esta quinta força do tempo galáctico quadridimensional, une as outras forças em um todo cósmico com uma gama infinita de potencialidade, enquanto preenche o universo fenomênico com seus diferentes ciclos e freqüências de tempo. Como um fator de quarta-dimensão, a força-g não é detectada ou medida como as outras forças "físicas".
Para resumir: Como o tempo galáctico quadridimensional envolve a terceira dimensão do espaço, a força-g é o fator universal de sincronização e o princípio vinculador fractal do hólon em sua infinidade de aspectos. Como uma função do tempo quadridimensional, o hólon anima e motiva o corpo tridimensional de acordo com as freqüências, de tempo, quadridimensionais. Em animais, isto está evidente em seus padrões de movimento e comportamento, de uns com os outros, que geralmente são altamente sincronizados e possuem uma elegância e equilíbrio, naturais.
Como tempo galáctico, a força-g funciona como um conjunto de superposições de feixes radialmente sincronizados. Estes feixes de sincronização são como registros de múltiplas trajetórias, unindo diferentes dimensões ou camadas de consciência cósmica, através da convergência de freqüências harmônicas, matematicamente, registradas e ajustadas para manter uma harmonia inter-dimensional, continuamente, em evolução.

Temos falado, muito, do feixe de sincronização da história, de 13 baktuns. Este foi um feixe especificamente carregado, com a intenção de acelerar os processos cármicos interplanetários, chegando a zero, pela zona nula de 2012. Porém, este foi apenas um caso especial, de um feixe projetado somente para a grande zona de quarentena, do setor de Velatropa 24, do braço de Órion, da galáxia. Uma vez que este feixe complete sua função na zona nula, então a Terra experimentará uma "noo-pausa" e depois de uma, cosmicamente, breve queda livre, pelo espaço inter-dimensional, entra no domínio da sincronização galáctica normalizada.

Quanto ao conhecido como "Domínio do Tempo", normalmente existem quatro feixes de sincronização, operando continuamente, cujos padrões estão integrados em duas lentes mestras, de tempo, sintetizadoras que projetam todas as percepções da cultura galáctica e consciência cósmica. A Terra e, supostamente, o heliocosmo inteiro alcançarão, agora, o processo normal do tempo galáctico. Isto está programado para a Semente Galáctica, em 26 de julho de 2013 - o significado do lançamento da Nave do Tempo Terra 2013.
Quando você pára para considerar a riqueza múltipla e inter-dimensional, do tempo galáctico, você pode perceber o quanto fora de sintonia e obsessiva é a medida do tempo mecânico 12:60, da cultura contemporânea da Terra e, tem conduzido a raça humana para longe do caminho e para a sua destruição da biosfera.
O propósito total, do sincronário galáctico de 13 luas e 28 dias, é facilitar a mudança para o tempo galáctico.
Este é o significado e propósito do Encantamento do Sonho. Isso não é o bastante para rejeitar e desligar-se do velho mundo, de máquinas, 12:60. Você tem que carregar, ativamente, a bandeira do novo, caso contrário, você é apenas a espuma e o deserto da velha ordem, dando uma pequena contribuição, positiva, para o bem-estar da Terra e seu hólon - a noosfera da Nave do Tempo Terra
4. Da Nação do Arco-íris para Nação do Encantamento do Sonho.
No centro do Encantamento do Sonho está a visão do arco-íris da nação do arco-íris. O auge desta visão é a meditação e a ciência da ponte do arco-íris circumpolar. Esta é a meta suprema do conhecimento do tempo sincrônico, codificada no Encantamento do Sonho e confiada à nação do arco-íris.

A idéia da nação do arco-íris surgiu, pela primeira vez, no final dos anos 60 como um complemento natural para a sub-cultura psicodélica. A "Ponte do Arco-íris", um filme apresentando Jimi Hendrix, representou a visão original dos hippies cósmicos. Em 1972 começaram os encontros arco-íris, a princípio nos Estados Unidos e, depois se esparramam em muitos países ao longo do mundo industrial ocidentalizado.

Em seu livro “A Nação do Arco-íris sem Fronteiras” (1990) Alberto Ruz descreve um grande movimento social que, virtualmente, abraça todas as sub-culturas marginalizadas, surgindo das regiões mais distantes, quase na última saída da estrada, do mundo globalizado, incluindo anarquista tree-huggers (abraçadores de árvores), redes de eco-vilas e grupos de apresentação de teatro de guerrilha. Hoje, esta nação do arco-íris engloba o mundo, mais do que nunca, envolvendo em seu núcleo muitas comunidades alternativas, desde os selvagens orgânicos, totalmente, apáticos e ativistas anti-globalização, até os médiuns da Nova Era e terapeutas de cristal.
Dessas categorias é tirado o núcleo da nação do Encantamento do Sonho. Estes são os verdadeiros artistas da ordem sincrônica que sabem que estão reformulando a mente humana ao sintonizá-la com a ordem sincrônica do tempo quadridimensional.
Na visão do Encantamento do Sonho, a nação do arco-íris tem seus próprios significados precisos.
“A Nação do Arco-íris: As quatro raças-raiz cósmicas, despertadas com o fim de lançar a Nave do Tempo Terra 2013. Jogadores do Encantamento do Sonho que assumem o comando planetário depois da mudança do Tempo, em 26 de julho de 1992”.
Com relação às "quatro raças-raiz cósmicas" lemos que elas constituem as “famílias de cores vermelhas, brancas, azuis e amarelas, formadas pelas 20 tribos solares para a Nave do Tempo Terra 2013, com o propósito de se unirem como a nação do arco-íris, depois da Mudança do Tempo”.

Mais adiante, descrevendo o Oráculo do Destino, do Encantamento do Sonho, diz que seu propósito é reunir a nação do arco-íris e restabelecer a harmonia original das quatro raças-raiz cósmicas… "Através da re-conexão do corpo tridimensional (traje espacial) com seu hólon, o uso do Oráculo do Encantamento do Sonho é para despertar a memória do tempo galáctico, a revelação direta da lei dos kins. Na lei dos kins, todos os kins são iguais e livres. É função do kin planetário… criar um caminho de poder para a nação do arco-íris que esteja, completamente, liberado de todas as instituições, dinheiro, guerra e pobreza”.

Por estas definições podemos reunir uma visão que requer uma grande responsabilidade pelo uso desse Encantamento do Sonho, “a dádiva com 5.000 anos de atraso. Esta dádiva é o conhecimento do tempo galáctico como o calendário das 13 luas, os 100 padrões do destino e os 260 umbrais galácticos dos kins planetários". A responsabilidade inclui: "… se ocupar da limpeza total e re-estabilização do planeta Terra… entrar na mudança dos pólos… testar a direção da Nave do Tempo… e lançar a Nave do Tempo, fazendo soar o acorde galáctico da quinta força de Kinich Ahau, o sistema solar, em 26 de julho de 2013 d.C.".

O momento chave, na ativação do Encantamento do Sonho, foi a Mudança de Tempo, em 26 de julho de 1992, "o momento de implementação do Calendário de 13 Luas e do despertar da nação do arco-íris em nome da Nave do Tempo Terra 2013". A mudança do Tempo terá começado dezesseis anos antes desse 26 de julho de 2008, desde a Tormenta Cósmica Azul – 1992 até a Tormenta elétrica Azul - 2008.
Algumas das datas originais, estabelecidas pelo Encantamento do Sonho, chegaram e se foram. Logo estaremos à quase cinco anos do lançamento da Nave do Tempo. É uma excelente oportunidade para avaliar e ver como estamos implementando as metas apresentadas para os kins planetários - o coração da nação do Encantamento do Sonho pulsa – em sua criação de um caminho de poder para a nação do arco-íris, a grande comunidade mundial que rejeitou o sistema de valores 12:60. Este caminho de poder, "… liberado de todas as instituições, do dinheiro, da guerra e da pobreza", está proposto para uma nação do arco-íris que é uma conseqüência quadridimensional da conversão do calendário de 13 luas do tempo tridimensional do materialismo.
O propósito do Plano de Paz da Mudança do Calendário de Treze Luas (1994), os dois Congressos Planetários de Direitos Biosféricos (1996 e 2006), como também o Congresso Mundial para a Lei de Tempo (1997), o Encontro Mundial da Paz e do Tempo (1999), lançamento do Projeto Rinri (1996), e o Seminário dos Magos da Terra, de sete semanas (1999) foram todos, de uma forma ou de outra, planejados para implementar as metas da visão do Encantamento do Sonho. Foi, especialmente, enfatizado a limpeza e estabilização da Terra, a divulgação e expansão do Calendário de 13 Luas, o teste de direção da Nave do Tempo (as práticas diárias dos códigos sincrônicos) e, a preparação para a mudança de polos - ponte do arco-íris circumpolar.
O ano 2000 completou os sete anos da profecia do Telektonon e viu a formação da Fundação para a Lei do Tempo, concretizada para a divulgação do plano de paz e continuar o trabalho de promover o Calendário de 13 Luas. O Seminário dos Magos da Terra, de sete semanas, deu origem a numerosos seminários dos Magos da Terra, de sete dias, que ainda são organizados em muitos países. As comunidades “jardins” como a de Epuyen, na Argentina, ou Jardim da Paz, na Itália, entre muitas, começaram a surgir. Porém, algo novo e, certamente previsto, tem surgido para mudar o ambiente mental da cultura contemporânea da Terra: menos de um ano depois da mudança do tempo, nasceu a ciberesfera da tecnosfera, através da Internet. O ambiente mental da Terra havia recebido um novo contexto.
Por volta do ano 2000, a ciberesfera havia se tornado a força dominante controladora da mente mundial - a noosfera virtual ou inconsciente. O efeito da ciberesfera, particularmente, a Internet, na consciência planetária, foi, sem precedentes. Permitia que, virtualmente, qualquer pessoa, no planeta, se comunicasse quase que instantaneamente. Tornou-se uma força no mercado. E criou um novo hábito tecno-social. Como o automóvel, há muita gente, negócios e organizações que simplesmente não podem sobreviver sem a Internet.
Quem deseja se comunicar com uma rede estendida ao redor do mundo, tal como a PAN, está obrigado a depender da Internet.
A criação da ciberesfera ajudou e auxiliou uma tendência para a preguiça mental exacerbada, pela acentuação do poder do individualismo que é preenchido com uma inundação de informações para a qual não há nenhum sistema discriminador, de avaliação. Nesta etapa final, da atomização da consciência, em bilhões de fragmentos egóicos, com cada um reivindicando sua própria autoridade, como é que se vai continuar comunicando a dádiva do Encantamento do Sonho das 13 Luas, e muito menos, achar ou levar o tempo para aprender um sistema que é tão galáctico, em natureza, e tem pouco a ver com o sistema de valores e conhecimentos embutidos na ciberesfera?
Sim, como re-programar a mente para um sistema de conhecimento, inteiramente, novo? Como criar unidade entre uma rede dispersa por toda a Terra, em pequenas concentrações, conectadas através de seus computadores? Como despertar a memória da missão original, do Encantamento do Sonho, para o lançamento da Nave do Tempo? A partir da diversidade das convicções que caracteriza a nação do arco-íris, como alguém galvaniza a nação do Encantamento do sonho dos kins planetários, para alcançarem seu dever mais elevado?
5. Ioga do Encantamento do Sonho.
"… No momento, todos os canais, de consciência, de cada um, em seu planeta, atuam de acordo com o mesmo sistema”.
"Porém, os programas de despertar e de Consciência são diferentes, as avaliações, de interpretação errada, leva a pensamentos equivocados. Isto se torna um obstáculo em seu caminho de evolução acelerada".
- O Livro de Conhecimento, pg. 544
A questão fundamental que todos enfrentam hoje, na Terra, é o desenvolvimento da inteligência discriminante.

A superabundância de opiniões expressada, freqüentemente, através do anonimato autocrático da Internet e, a falta de educação para discriminar entre opinião e verdade, só contribui para aumentar mais ainda a confusão da Era.

Todos estão vivendo na ciberesfera – isto é o que quer dizer o agir em conformidade com o mesmo sistema – porém, cada um se encontra em uma etapa, diferente, de despertar e, atuando em níveis, diferentes, de consciência. Nem todos estão atentos a isto e muitos interpretam, de forma errada, tudo o que acontece, numa proporção cada vez maior.
Acrescentando-se a isso, que mais e mais pessoas têm a mente condicionada e/ou indisposição para examiná-la e, você tem o estado da noosfera como ele se encontra agora.
O desafio para apresentar a essência verdadeira, da dádiva do Encantamento do Sonho das 13 Luas, neste ambiente mental, é altamente desafiador. Cada um deve estar, completamente, certo, quanto à essência desta ferramenta, como uma expressão verdadeira de um sistema galáctico de conhecimento. Cada um deve entender, sem o mínimo de duvida, que o modo mais seguro para começar uma mudança de paradigma e re-programar a mente humana é através uso diário do Encantamento do Sonho das 13 Luas.

Muita gente diz que deseja re-programar suas mentes, seus corpos emocionais ou o que quer que seja. Porém, se você dá para alguém a dádiva do Encantamento do Sonho ou decodifica sua assinatura galáctica, freqüentemente dirão: "Sim, mas o que isso significa? " ou, "O que isso fará por mim? "


A menos que alguém tenha uma verdadeira vontade mental - e disciplina para aprender algo novo, eles, simplesmente, se juntarão às filas de outras pessoas, bem-intencionadas, que receberam a dádiva, olharam e então, colocaram na estante.
Para aprender o Encantamento do Sonho você tem que vê-lo como uma forma de ioga. A Ioga funciona com uma disciplina só porque você toma a iniciativa para fazê-la. Se você está, completamente só, na floresta, longe de toda a sua família e conhecidos, sem ninguém ao seu redor para lhe dizer o que fazer e, ainda assim, você se levanta e faz sua prática de Ioga ou meditação, então, você sabe para onde isso lhe conduz.
Um Iogue ou uma yogini é aquele que exerce a autodisciplina. A autodisciplina mais elevada não é para você mesmo, mas para um ideal superior - para o lançamento da Nave do Tempo Terra, por exemplo, que é, na realidade, para a salvação de seu planeta. Ou seu serviço pode ser dedicado, além disso, ao Ser Supremo, de quem se recebe a dádiva da vida.
De qualquer forma, o ponto do Encantamento do Sonho, que pretendemos apresentar, através deste Boletim informativo, é que ele é um sistema de conhecimento galáctico, destinado a ser aplicado como um ato de serviço planetário em nome da espiritualização da Terra.
Aprender e praticar este novo sistema galáctico de conhecimento constitui a ioga do Encantamento do Sonho.
Como uma forma de ioga, o Encantamento do Sonho se classifica na categoria de jnana Ioga, ou ioga do conhecimento. Esta é a ioga do treinamento mental dentro de um sistema de conhecimento. Cada um pode praticar a meditação da mente natural, por exemplo, e até certo ponto, pode treinar a mente para ver sua própria natureza, com o fim de experimentar a verdadeira essência do indivíduo. Na Ioga clássica isto é chamado Dhyana, a palavra da qual o Zen é, basicamente, derivado. Isso é o nível fundamental do treinamento mental.
Outro nível de disciplina mental é aprender as bases sistemáticas e lógicas, de um sistema de conhecimento, tal como aprender um idioma novo. Aprender o Encantamento do Sonho é o mesmo que aprender um novo idioma - o idioma do tempo galáctico. Para se fazer isso não somente é necessário ter uma disciplina para aprender, como também uma disciplina para praticar diariamente, ou seja, seguir os códigos da ordem sincrônica. Estes códigos são o idioma falado pelo Encantamento do Sonho.
O nível mais simples e mais importante é o Sincronário de 13 Luas de 28 dias. Aqui a pessoa aprende e pratica os componentes básicos do idioma, como um sistema diário de sintonização, você se sintoniza com a Lua e com o seu lugar na Onda Encantada do serviço planetário; você se sintoniza com a semana (heptal); você se sintoniza com o plasma diário; você se sintoniza com o seu kin; você cria o oráculo diário, e assim sucessivamente.
Nesta forma de jnana Ioga, a prática da meditação da mente natural é, extremamente, útil. Quando você está aprendendo algo, tão novo quanto o Encantamento do Sonho, sua mente condicionada o bombardeará com dúvidas, perguntas, comparações desnecessárias, etc.. Através da meditação, da mente natural, você pode desenvolver a mente de um iniciado e pode ver tudo de um modo diferente. Ou, se pensamentos condicionados surgem, você será capaz de reconhecê-los e rotulá-los como tal, e continuar em sua busca do idioma novo.
Se você quer reformular, de verdade, a sua mente, então você deve agir desta forma, a forma da ioga do Encantamento do Sonho. Ela abrirá, para você, portas inimagináveis. Ela é o início para entrar no único portal que dá acesso às vastas extensões da consciência e cultura galáctica.
6. No Reino Catalítico do Tempo da Terra Interior.
Uma das aplicações avançadas do Encantamento do Sonho, como a expressão da ordem sincrônica da cultura galáctica é o Mistério da Pedra. Esta prática está codificada com um ciclo de sete anos, de 2004 a 2011 – os anos Tormenta Cristal Azul à Lua Auto-existente Vermelha. No Mistério da Pedra um ano é um anel - a órbita da Terra ao redor do Sol. Nós estamos agora na décima primeira Lua do quarto anel, o Mago Lunar Branco. Cada anel está designado por um Senhor de Tempo (Bolontiku), como um guardião pentadimensional que deve ser despertado pelo praticante da ioga do Encantamento do Sonho.
Este anel do Mago Lunar Branco é um ano difícil de transitar, em nossa viagem para 2012. No Mistério da Pedra terminamos nossa passagem pelos três anéis do reino sensorial e, estamos na passagem catalítica em nosso caminho até os três anéis do reino telepático. Psiquicamente, nós estamos no domínio etéreo quadridimensional da Terra interior, o reino catalítico do tempo da Terra interior. O Tempo da Terra interior é onde as lembranças arquetípicas, dos mundos perdidos, estão sendo, agora, amadurecidas pelas freqüências dissonantes, finais, do feixe de sincronização de 13 baktuns. Aqui, os eventos são representados como uma peça de teatro arquetípica, do tempo da Terra interior. Aqui, é onde inconsciente coletivo está terminando.
O que acontece no tempo da Terra interior é gravado e ressoa no tímpano que rodeia o núcleo da Terra. Estas ressonâncias reverberam, então, na superfície tridimensional, sendo percebidas como diversos eventos geofísicos, assim como psico-socio-culturais. Este é o tempo da purificação do reino sensorial. Existe ainda mais a ser purificado, no setor galáctico-cármico da psique da Terra, havendo mais representações e suas reverberações na superfície da Terra. Neste ano particular, de passagem através do tempo da Terra Interior está ocorrendo através do corpo etéreo do quarto Senhor do Tempo, Garuda Crista de Ferro Negro.
Como sabemos, no Mistério da Pedra, três oráculos do Encantamento do Sonho estão alinhados para criar a estrutura etérea de um dos nove Senhores do Tempo. Considerando que estamos, agora, na segunda metade do anel anual do tempo, o oráculo da coroa é o Dia-Fora-do-Tempo (Espelho Lunar); o oráculo fixo, do coração, é o da profecia /livro das Sete Gerações (Terra Lunar), enquanto que o oráculo da raiz é o kin anual (o Mago Lunar).
Nestes códigos do oráculo, encontramos dois selos galáctico-cármicos: Mão Lunar Azul, o antípoda do oráculo do coração, Terra Lunar Vermelha, e no mesmo núcleo da Terra, o chacra raiz da raiz do Bolontiku, é a Mão Cristal Azul, a assinatura galáctica do encerramento do ciclo, 21/12/2012.
O aparecimento destes dois selos no tempo da Terra interior indica o profundo poder cármico deste rito, crucial, de passagem. A Mão Lunar encarna o desafio da intensidade de todo o carma galáctico acumulado, chegando agora, a uma rápida realização, dentro da cultura contemporânea da Terra, em forma de auto-conflito. Esta é a causa dos tremendos motins e tensão, de demoras intermináveis e a areia movediça em baixo disso tudo, que uma vez pensamos solo firme. Isto também explica a intensidade, mais recente, da agitação terrestre: A erupção do vulcão Chaiten no Sul do Chile (1 da Lua Espectral), e o ciclone Nargis que devastou a Birmânia (2 da Lua Espectral).
Neste momento, o qual nos encontramos agora, não há nenhum lugar seguro, exceto no centro do mais profundo do nosso ser, a raiz da raiz de nossa essência. Ali está a visão do final da viagem da Mão Cristal Azul, 21/12/2012. É aqui aonde devemos cultivar a certeza de que o fim da viagem está fechando, agora, a consciência da Terra. O inimaginável e o inesperado é agora o inevitável. Os sinais superiores, do Cosmo, estão aumentando. Os feixes dos mestres criativos do tempo galáctico estão sondando a Terra agora, em busca de receptores telepáticos.
Através de tais eventos como está acontecendo agora, nosso ser interior está sendo catalisado para, mais adiante, dar um salto evolutivo em direção ao reino telepático do Cosmos. O ser inferior e todos os seus condicionamentos estão sendo, completamente, expurgados para fora da existência operacional. Os marechais, de campo, galácticos estão convocando os esconderijos arquetípicos do tempo da Terra Interior, os meios finais de confrontação psíquica da psique coletiva.
“E quando a sentença é pronunciada contra eles, produziremos da Terra uma besta para enfrentá-los; ela falará para eles, já que os homens não acreditaram, com segurança, em nossos sinais".
- Alcorão 27:82 (al-Biruni edição o Beirute, 2001).
“No momento certo, nós produziremos para eles uma criatura feita de materiais terrenos, declarando que as pessoas não estão seguras sobre nossas revelações”.
- Alcorão 27:82 (tradução de Rashad Khalifa).
O momento certo chegou. A criatura feita de materiais terrenos é o computador, como também, a televisão. Os noticiários da Internet e televisão são os meios de revelação. Fique sintonizado e permaneça atento.
Enquanto isso faltam menos de onze semanas da passagem catalítica. Durante este tempo, assegure-se de chegar à raiz da raiz do seu ser, onde a visão de 2012, da Mão Cristal Azul emana seu luz de cura. Para aqueles que chegam lá purificados e inteiro, os portais visionários se abrirão em abundância.
A dádiva do Encantamento do Sonho foi, totalmente, planejado para tal tempo. O Mistério da Pedra, todavia, tem ainda outros três anos de fabricação. Ainda há tempo para se preparar para o lançamento da nave do Tempo!

Leitura do Código sincrônico: Kin 81 Dragão Elétrico Vermelho:
" NS1.20.11.8, Novo Ciclo de Sirius, Giro Galáctico 30,
" Dia 288 Ano do Mago Lunar Branco, 2007-2008DA

" Lua Espectral da Serpente da Liberação

" Dragão: "A compaixão para seres sensíveis já foi realizada desde o começo. O Dragão cria compaixão para com todos os seres."
" Padmasambhava 8. "Dentro dessa (consciência intrínseca) os Trikaya são inseparáveis e completamente presentes como um."
" Ibn al-Arabi, 8. Kaf o pedestal, o Grato, a primeira coisa de imaginária, o lugar onde Deus póe os "seus pés". Acima do pedestal está a Misericórdia.
" Telektonon Dia 8, Cube 2. Espírito do Vento. Terceiro Vidente. Cristo, Um Amor. "As dificuldades são Portas para a felicidade."
"Tabuleiro do Telektonon: Baktun 8, Cristo, o Ungido, 353 – AD 41a.C.
"Corte da Mente: Salão do Vento. O alento refina a claridade de mente.
"20 Tábuas, Ano Onze, Cubo da lei de Dezesseis anos, Semana 562,
"Manitu Planetário CA, Terceiro Ano do Modo de Exercer o Poder,
"Terceiro Feixe do Ano Semente-Tormenta, Ano 3, Semana 42, Lua 11
"Mistério da Pedra, Quarto Anel, Heptal 198, Décimo sexto trimestre,
"Quarto Ano do Heptágono da Mente da Terra, Oráculo da Iniciação - Kali Sela a Iniciação
"A Vitória Catalisa o Mistério da Pedra
"Cubo Anual Onze, Magia do Macaco, Plano Consciente de Vontade, Inteligência Instintiva externalizada,
"Oitavo Ano, Segunda Criação, Ciclo de Auto-perfeição, Camelot Restaurada,
"Reino do Quarto Senhor do Tempo, Garuda Crista de Ferro Negro, Guardião do Terceiro Poder do Nove (27) - Tempo de Regência: 920 AC – 189 AC.
"20 Tábuas: Cronógrafo Anual Tábua 11, Cronógrafo: Gênese do Macaco, Onda Encantada do Macaco 11, Castelo Azul Oeste do Queimar, Corte da Magia.
"Cronógrafo, Lua Kin 141: Lua do Dragão Espectral vermelho -9.987 a -9.887
"Correlação Baktun/Lua - lua do Baktun 11 "Guerras Santas", quadril esquerdo de Quarto Senhor do Anel,
"Anel da Noosfera interplanetária: Manifestar a presença de Garuda Crista de Ferro Negro, segundo ciclo de pulsação, Filho do Raio Vermelho Grande Vazio, Maldek SP+,
"7:7::7:7 código: Meu pai é consciência intrínseca. Eu sinto o calor.
"Profecia de Telektonon: Seção 1 Versos Introdutórios, versos 1-4, "Uma Profecia Viva",
"Encantamento do Sonho: Kin 81, Dragão Elétrico Vermelho,
"Harmônica 21. Entrada Rítmica, Informar o Florescendo da Igualdade
"Códon Bifásico 47: Chamando a Fonte – o dinamismo solucionado como arquitetônico.
"Conta longa: 33 Caminhante do Céu Ressonante Vermelho,12.19.15.11.2
"Haab: Vinal 15, Moan – “Com o fim de ver na escuridão”.



Fonte:
  http://www.13luas.art.br/xps/modules/news/article.php?storyid=44



***

Conheça também:


ASCENSÃO!

REPROGRAMAÇÃO CELULAR

RECODIFICAÇÃO DNA-RNA

PNL (Programação Neuro-Linguística)

CHAVES DE ENOCH 3-1-7

EPIGENÉTICA

MUSICOTERAPIA

ESPIRITUALIDADE.


Mais informações:


O FENÔMENO 2012 - FIM DO MUNDO


O FENÔMENO 2012 - FIM DO MUNDO


O fenômeno 2012 compreende um conjunto de crenças escatológicas segundo as quais eventos cataclísmicos ou transformadores aconteceriam no dia 21 de dezembro de 2012. Esta data é considerada como o último dia de um ciclo 5.125 anos do calendário de contagem longa mesoamericano. Vários alinhamentos astronômicos e fórmulas matemáticas têm sido colocadas como pertencentes a essa data, apesar de nenhuma delas ser aceita pela comunidade científica.

A interpretação de que essa data marca o início da Nova Era diz que a Terra e seus habitantes podem sofrer uma transformação espiritual ou física positiva, e que 2012 seria o começo de um novo tempo. Outros sugerem que 2012 marca o fim do mundo ou uma catástrofe similar.[5] Cenários sugeridos para o fim do mundo incluem a chegada do próximo máximo solar ou a colisão da Terra com um objeto como um buraco negro, um asteroide próximo ou um planeta chamado "Nibiru" Estudiosos de várias áreas têm rejeitado a ideia de eventos cataclísmicos em 2012. 

Profissionais especializados na cultura maia dizem que as previsões de morte iminente não são encontradas em nenhum dos clássicos dessa civilização e a ideia de que o calendário de contagem longa "termina" em 2012 deturpa a cultura e história maia. Astrônomos e outros cientistas rejeitaram as teorias como sendo pseudociência, afirmando que elas são conflitantes com simples observações astronômicas, e que "existem preocupações mais importantes para a ciência, tais como o aquecimento global e a perda de diversidade biológica". A NASA tem comparado os medos em relação ao ano de 2012 com o fenômeno "Bug do milênio" no final da década de 1990, sugerindo que uma adequada análise dos fatos pode impedir temores de um desastre.


Calendário de Contagem Longa

Antes de mais nada, é importante destacar que a contagem ou conta longa não foi mantida pelos maias contemporâneos, diferentemente do ciclo de 260 dias, por exemplo. Sua reconstrução foi feita pelos acadêmicos e posteriormente adotou-se a teoria que posiciona o fim de um ciclo em 2012 como teoria hegemônica tanto entre acadêmicos quanto entre maias contemporâneos. Contudo, esta não deveria ter sido naturalizada. Isto significa dizer que, literalmente, não temos certeza de que o tão falado ciclo de 2012 termine de fato em 2012. Pode ter terminado há anos ou ainda demorar anos para terminar.

Na teoria mais aceita, dezembro de 2012 marca o fim do atual ciclo b'ak'tun da contagem longa mesoamericana, a qual era usada na América Central antes da chegada dos europeus. Embora a contagem longa tenha sido provavelmente inventada pelos olmecas,[9] tornou-se estritamente relacionada com a civilização maia, cujo período clássico durou entre 250 e 900 d. C. Os maias clássicos eram alfabetizados e seu sistema de escrita encontra-se substancialmente decifrado.

A contagem longa define a "data zero" em um ponto do passado, que marcou o fim do mundo anterior e o início do atual, correspondente a 11 ou 13 de agosto de 3114 a. C. no calendário gregoriano proléptico, dependendo da forma utilizada. Ao contrário do calendário usado atualmente pelos maias, a contagem longa foi linear, e não conjuntural, e mantida em unidades de tempo baseadas no sistema vigesimal. Por esse meio, 20 dias correspondem a um uinal, 18 uinals (360 dias) a um tun, 20 tuns a um k'atun e 20 k'atuns (144.000 dias) correspondem a um b'ak'tun. Assim, por exemplo, a data maia 8.3.2.10.15 representa 8 b'ak'tuns, 3 k'atuns, 2 tuns, 10 unials e 15 dias desde a data zero. Muitas inscrições maias têm a contagem de mudança para uma ordem mais elevada após 13 b'ak'tuns. Hoje, as correlações mais amplamente aceitas para o final do décimo terceiro b'ak'tun são no calendário ocidental os dias 21 e 23 de dezembro de 2012.


Teoria apocalíptica

Em 1957, o astrônomo Maud Worcester Makemson escreveu que "a realização do Grande Período de 13 b'ak'tuns será da maior importância para os maias." Nove anos depois, Michael D. Coe, mais ambiciosamente, afirmou que o "Armageddon degeneraria todos os povos do mundo desde a sua criação, e que no dia do décimo terceiro e último b'ak'tun o universo seria aniquilado, no dia 24 de dezembro de 2012 (depois revisada para 23 de dezembro de 2012) quando o Grande Ciclo da contagem chega a sua conclusão." 

A questão é ainda mais complicada por diversas cidades-estados maias empregarem a contagem longa de maneira diferente. Em Palenque, a evidência sugere que os sacerdotes acreditavam que o ciclo terminaria após 20 b'ak'tuns e não 13.


Objeções

As previsões apocalípticas de Coe foram repetidas por outros estudiosos até o início da década de 1990. Entretanto, mais tarde, pesquisadores disseram que, embora o final do 13º b'ak'tun talvez seja um motivo de comemoração, não marca o final do calendário. "Não há nada em qualquer profecia maia, asteca ou da antiga Mesoamérica que sugira que eles profetizaram qualquer tipo de grande ou súbita mudança em 2012", diz o estudioso dos maias Mark Van Stone. "A noção de que um "Grande Ciclo" vai chegar ao fim é uma invenção completamente moderna." 

Em 1990, os estudiosos maias Linda Schele e David Freidel argumentaram que os maias "não conceberam que isso seja o fim da criação, como muitos sugeriram." Susan Milbrath, curadora de Arte e Arqueologia Latino-Americana no Museu de História Natural da Flórida, declarou: "nós não temos nenhum registro ou conhecimento de que [os maias] pensavam que o mundo chegaria ao fim" em 2012. "Para os antigos maias, isso era uma grande celebração que seria feita até o fim de um ciclo", diz Sandra Noble, diretora executiva da Fundação para o Avanço dos Estudos Mesoamericanos em Crystal River, Flórida, Estados Unidos. 

A escolha de 21 de dezembro de 2012 como o dia de um evento apocalíptico ou de um momento cósmico de mudança, diz ela, é "uma completa invenção e uma chance de lucro para muitas pessoas." "Haverá um novo ciclo", diz E. Wyllys Andrews V, diretor do Instituto de Pesquisas Mesoamericanas da Universidade de Tulane, em Nova Orleans, Louisiana. "Nós sabemos que os maias pensavam que houve um antes, o que implica que eles estavam confortáveis com a ideia de um outro depois."


Associações anteriores

A associação entre europeus e maias com a escatologia remonta à época de Cristóvão Colombo, que estava compilando um trabalho que chamou de Libro de las profecias durante a viagem de 1502 a Guanaja, uma ilha ao norte de Honduras, quando ele ouviu pela primeira vez sobre o "povo maia". Influenciado pelos escritos de Pierre d'Ailly, Colombo acreditava que sua descoberta de terras "mais distantes" (e, por consequência, os maias) fora profetizada e conduziria ao Apocalipse. O medo do fim dos tempos eram disseminados durante os primeiros anos da colonização espanhola como resultado de previsões astrológicas populares na Europa sobre um segundo dilúvio para o ano de 1524.

No início dos anos de 1900, o estudioso alemão Ernst Förstemann interpretou a última página do código de Dresden como uma representação do fim do mundo com uma inundação cataclísmica. Ele fez referência à destruição do mundo e a um Apocalipse, mas não falou sobre o 13º baktun em 2012 e não era claro se ele estava se referindo mesmo a um evento futuro. Suas ideias foram repetidas pelo arqueólogo Sylvanus Morley, que parafraseou diretamente Förstemann e acrescentou suas próprias afirmações, escrevendo: "Finalmente, na última página do manuscrito, é descrita a Destruição do Mundo. Aqui, de fato, é retratado com um toque gráfico o cataclisma todo-envolvente final" na forma de um dilúvio. Estes comentários foram, depois, repeditos no livro de Morley, The Ancient Maya, que teve sua primeira publicação em 1946.


Crenças em Nova Era

Muitas afirmações sobre o ano de 2012 fazem parte de uma coleção não-codificada de crenças da Nova Era sobre a cultura maia quanto à espiritualidade. O arqueoastrônomo Anthony Aveni afirma que, embora a ideia de "equilíbrio do cosmos" tenha sido destaque na literatura maia, o fenômeno 2012 não vem dessas tradições. Em vez disso, ele está relacionado com conceitos americanos, como o movimento da Nova Era, o milenarismo e o ocultismo.

Os temas encontrados na literatura sobre 2012 incluem a "desconfiança em relação à cultura ocidental dominante", a ideia de evolução espiritual e a possibilidade da entrada da humanidade na Nova Era por cada indivíduo ou por uma consciência de grupo. Em geral, a intenção dessa literatura não é avisar sobre o perigo iminente, mas "promover a contra-culturas simpatias e eventualmente ativismo sócio-político e espiritual". Aveni, que estudou comunidades Nova Era e SETI, descreve as narrativas sobre 2012 como produto de uma sociedade "desconectada": "incapaz de encontrar respostas espirituais para as grandes questões sobre a vida dentro de nós mesmos, voltamo-nos para fora a entidades imaginárias, que estão longe no espaço ou no tempo — sendo essas as únicas que estariam na posse de um conhecimento superior".


Origens

Em 1975, o fim do 13º b'ak'tun tornou-se objeto de especulação por parte de vários autores da Nova Era, que afirmaram que o evento corresponderia a uma "transformação de consciência" global. Em Mexico Mystique: The Coming Sixth Age of Consciousness, o escritor americano Frank Waters vinculou a data de 24 de dezembro de 2011 à astrologia e às profecias dos hopis, enquanto José Argüelles e Terence McKenna, autores de The Transformative Vision e The Invisible Landscape, respectivamente, discutiram a importância do ano 2012 e fizeram referência a 21 de dezembro de 2012.

Em 1983, com a publicação da tabela de correlações de datas de Robert Sharer revista na quarta edição de The Ancient Maya, cada um se convenceu de que 21 de dezembro de 2012 tinha um significado importante. Em 1987, o ano em que ele organizou o evento de convergência harmônica, Arguelles usou a data 21 de dezembro de 2012 em The Mayan Factor: Path Beyond Technology. Ele alegou que em 13 de agosto de 3113 a.C. a Terra começou a passagem através de um "feixe de sincronização galáctica" que emanava do centro da galáxia, que esse feixe iria passar através da Terra durante um período de 5.200 tuns (ciclos maias de 360 dias cada) e que este feixe resultaria em "sincronização total" e "arrastameno galáctico" dos indivíduos "ligados à bateria eletromagnética da Terra" por 13.0.0.0.0 (21 de dezembro de 2012). Ele acreditava que os maias haviam alinhado seu calendário para corresponder com esse fenômeno. Anthony Aveni rejeitou todas essas ideias.


Alinhamento planetário

Não há nenhum evento astronômico significativo relacionado à data de início do calendário de contagem longa. Porém, segundo a literatura da Nova Era, a data final do calendário está ligada a fenômenos astronômicos de uma grande importância para a astrologia. O principal desses eventos é o conceito de "alinhamento planetário".


Precessão

No Sistema Solar, os planetas e o Sol ficam aproximadamente no mesmo plano, conhecido como plano elíptico. Da nossa perspectiva da Terra, a elíptica é o caminho percorrido pelo Sol pelo céu durante um ano. As doze constelações que estão sobre essa linha elíptica são conhecidas como zodíaco e, anualmente, o Sol passa por eles uma vez. Para além disso, o ciclo anual do Sol parece diminuir muito lentamente para trás um grau a cada 72 anos ou uma constelação a cada 2.160 anos. 

Esse movimento de recuo é chamado de "precessão", e ocorre devido a uma ligeira oscilação do eixo da Terra à medida que ela gira e pode ser comparada à forma como um peão oscila à medida que a sua velocidade diminui. Ao longo de 25.800 anos, um período geralmente chamado de Ano Platônico, o caminho do Sol completa uma rotação de 360º de recuo através do zodíaco. Nas tradições da astrologia ocidental, a precessão é medida a partir do equinócio de março, ou o ponto em que o Sol está exatamente no meio do caminho entre os pontos mais baixos e mais altos do céu. Atualmente, a posição do Sol no equinócio de março é na constelação de Peixes e está se movendo para trás em direção à de Aquário. Isso sinaliza o fim de uma era astrológica (Era de Peixes) e o início de outra (Era de Aquário).


Misticismo

Especulações místicas sobre a precessão dos equinócios e a proximidade do Sol em relação ao centro da Via Láctea apareceu pela primeira vez em Hamlet's Mill (1969) por Giorgio de Santillana e Hertha von Deschend. Esses foram citados e complementados por Terence e Dennis McKenna em The Invisible Landscape (1975). O significado de um futuro "alinhamento galáctico" foi observado em 1991 pelo astrólogo Raymond Mardyks, que afirmou que o solstício de inverno se alinharia com o plano galáctico em 1998/1999, escrevendo que um evento que "só ocorre uma vez a cada 26 mil anos seria de extrema importância para os principais astrólogos antigos". 

Bruce Scofield observa que "a travessia da Via Láctea no solstício de inverno é algo que tem sido negligenciado pelos astrólogos ocidentais, com algumas exceções. Charles Jayne fez uma referência muito antes sobre isso, e na década de 1970, Rob Hand mencionou isso em suas falas sobre precessão, mas não se aprofundou no tema. Ray Mardyks mais tarde falou sobre isso e depois John Jenkins, eu e Daniel Giamario começamos a falar sobre isso".

Partidários da ideia, seguindo a primeira teoria proposta por Munro S. Edmonson, alegam que os maias basearam seu caledário em observações dos Great Rift e Dark Rift, um conjunto de nuvens na Via Láctea, aos quais, de acordo com alguns estudiosos, os maias chamaram de Xibalba be ou "Estrada Negra". John Major Jenkins afirma que os maias tinham conhecimento de onde a elípitica cruzava a Estrada Negra e deram a essa posição no céu um significado especial em sua cosmologia.

De acordo com Jenkins, a precessão irá alinhar precisamente o Sol com o equador galáctico no solstício de inverno de 2012. Jenkins afirmou que os maias anteciparam esta conjunção e celebraram isso como o prenúncio de uma profunda transição espiritual para a humanidade. Os defensores da hipótese da Nova Era com o alinhamento galáctico argumentam que, assim como a astrologia utiliza as posições de estrelas e planetas para prever acontecimentos futuros, os maias fizeram seu calendário com o objetivo de prever eventos significativos para o mundo. Jenkins atribui as percepções dos antigos xamãs maias sobre o centro da galáxia para o uso de cogumelos alucinógenos, sapos e outras comidas psicodélicas. Jenkins também associa Xibalba be com uma "árvore do mundo", com base em estúdios contemporâneos da cosmologia maia.

Se o amante se lança na chama da vela e não se queima,
ou a vela não é vela ou o homem não é Homem,
Assim o homem que não é enamorado de Deus
e que não faz esforços para o alcançar não é Homem.
Deus é aquele que queima o homem e o aniquila
e nenhuma razão o pode compreender.

Mawlana Rumi - ' Fihi ma fihi'

Por Amor

Por Amor
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

... És precioso aos meus olhos. Troco reinos inteiros por ti...

"Nem Cristão, Judeu, ou Muçulmano,

nem Hindu, nem Budista, Sufi ou Zen.

Nem uma Religião ou Sistema cultural.

Eu não sou do Oriente nem do Ocidente,

nem dos oceanos nem da terra,

nem material ou etéreo,

nem composto de elementos.

Eu não existo..."


Mawlana Jalaluddin Rumi